Procurador pede castração química

CM 29 de janeiro de 2018

Celso Leal defende intervenção clínica desde que seja reversível.

Por Correio da Manhã

Apesar de ainda não constar no código penal português, a castração química para agressores sexuais condenados é uma hipótese em aberto para vários agentes judiciais. Um livro de um procurador da República, Celso Leal, defende mesmo esta intervenção médica, desde que a mesma seja reversível e aplicada com o consentimento dos visados. Rui Pereira, professor universitário de Direito e ex-ministro, é da mesma opinião, defendendo a realização de estudos que analisem a realidade de outros países onde a solução é aplicada.

A obra de Celso Leal, ?Crimes Sexuais e Castração Química no Ordenamento Jurídico português - Fim de um tabu?, está a ser alvo de uma promoção no site oficial da Procuradoria-Geral da República.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui