Polémica em torno dos apoios ao cinema continua

CM 16 de fevereiro de 2017

Membros da SECA defendem escolha de júris

Por Correio da Manhã

Dez dos cerca de 20 membros da Secção Especializada para o Cinema e Audiovisual (SECA) defenderam esta quinta-feira a importância de ser este organismo do Conselho Nacional de Cultura a aprovar os membros dos júris que vão avaliar os concursos e atribuir os apoios financeiros para a produção, distribuição e exibição de obras cinematográficas e audiovisuais. Uma competência que atualmente pertente ao Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA).

Numa carta enviada às redações, estes membros defendem que a SECA é o "órgão mais representativo do cinema e audiovisual, onde figuram todas as sensibilidades, orientações e tendências de um setor complexo". Consideram, portanto, que "a opção de sediar tal competência na SECA permite assegurar a absoluta transparência e rigor do processo de seleção — preservando deste modo o ICA das suspeitas de pressões, manobras de bastidores e jogos de influência que minaram em anos transatos a confiança no funcionamento do sistema e que têm dado azo a injustiças, iniquidades e à insatisfação de largos estratos do setor — e garantir a legitimação do método de seleção de tais júris".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login