Novo presidente do Equador chama 'hacker' a Assange, mas deixa-o continuar na embaixada

CM 29 de maio de 2017

Fundador da Wikileaks vive na embaixada de Londres há quase cinco anos. Incómodo cresce.

Por Correio da Manhã

O novo presidente do Equador, o esquerdista Lenin Moreno, qualificou esta segunda-feira Julian Assange como "um hacker", tecendo os comentários mais fortes contra o fundador da Wikileaks. Mas ressalvou que o australiano pode continuar a viver na embaixada do país em Londres, onde vive como asilado político desde 2012.

Lenin Moreno, que tomou posse no início de maio, altera o discurso do seu antecessor, Rafael Correa, que sempre se referiu a Assange como "um jornalista". Foi Correa que deu asilo político a Assange, quando este se refugiou na embaixada do Equador em Londres para escapar ao mandado de captura emitido pela Suécia.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login