Ministro dos Emirados Árabes Unidos defende decreto de Trump

CM 01 de fevereiro de 2017

Abdullah Bin Zayed al-Nahyan acredita que medida não é contra a religião do Islão.

Por Correio da Manhã

O chefe da diplomacia dos Emirados Árabes Unidos defendeu hoje a proibição de entrada nos EUA de cidadãos de sete países muçulmanos, afirmando ser "uma decisão soberana" e que nada tem a ver com religião.

"É errado dizer" que a decisão da nova administração norte-americana é "dirigida contra uma religião em particular", disse o xeque Abdullah Bin Zayed al-Nahyan, ministro dos Negócios Estrangeiros dos Emirados.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login