Ganhos acentuados do BCP e Pharol elevam bolsa nacional

Negócios 31 de outubro de 2018

A bolsa nacional já inverteu da tendência de quedas, com o BCP a subir mais de 3% e a Pharol mais de 7%. Já a Jerónimo Martins, que esteve a perder mais de 6% atenuou a tendência e segue a perder 4%, aliviando a pressão.

Por Sara Antunes - Jornal de Negócios

A bolsa nacional iniciou a sessão a cair, pressionada pela descida acentuada da Jerónimo Martins, mas já inverteu da tendência, com a retalhista a aliviar parte das quedas e cotadas como o BCP, a Galp e a Pharol a acentuarem os ganhos.

 

O PSI-20 está a subir 0,73% para 5043,57 pontos, numa altura em que 16 cotadas estão a subir e duas a descer. Entre os congéneres europeus a tendência é de ganhos acentuados, numa altura em que os investidores aliviam a pressão depois de se ter registado fortes quedas nas bolsas e premeiam as cotadas que estão a apresentar resultados acima das estimativas. O Stoxx600, índice que agrega as 600 maiores cotadas europeias, está a ganhar 1,48% para 360,78 pontos.

Na bolsa nacional, destaque para o BCP, que está a apreciar 3,32% para 0,2366 euros, depois de ontem já ter observado um ganho expressivo, a beneficiar da perspectiva do BPI, que estima que o banco liderado por Miguel Maya deverá mais do que duplicar os lucros do terceiro trimestre. Em dois dias, o BCP está a valorizar mais de 7%.

Do lado oposto está a Jerónimo Martins, ao descer 4,21% para 11,03 euros, tendo chegado a afundar mais de 6%, com os investidores a reagirem aos resultados dos primeiros nove meses do ano, apresentados ontem já após o fecho do mercado. . Os lucros da retalhista, dona dos supermercados Pingo Doce, aumentaram 2,4% nos primeiros nove meses do ano para 292 milhões de euros.

Os CTT, que também apresentaram os seus resultados ontem após o fecho, estão a subir 1,2% para 3,37 euros, tendo também iniciado a sessão a cair. Os lucros da empresa liderada por Francisco Lacerda deslizaram 50% para 10 milhões de euros, num período em que o negócio do correio cresceu.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui