Bastonário admite que sete mil advogados podem ser executados por quotas em atraso

CM 17 de setembro de 2018

Valor global atinge os sete milhões de euros.

Por Correio da Manhã

O bastonário da Ordem dos Advogados, Guilherme Figueiredo, admitiu esta segunda-feira que sete mil causídicos podem ser executados pela Autoridade Tributária devido a quotas em atraso, no valor global de sete milhões de euros.

"O que vai acontecer é que, não pagando voluntariamente, a Ordem dos Advogados proporá as ações na Autoridade Tributária", disse hoje à agência Lusa Guilherme Figueiredo, à margem de uma visita ao Tribunal de Fafe, no distrito de Braga.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login