Banqueiro envolve Proença de Carvalho

CM 09 de maio de 2018

Carlos Silva diz que não ofereceu emprego mas admite que fez a ponte com o advogado.

Por Correio da Manhã

O banqueiro Carlos Silva reitera que nada tem a ver com o contrato de trabalho que levou Orlando Figueira a sair da magistratura, mas admite que tenha sugerido que ele tratasse de um diferendo laboral com o advogado Daniel Proença de Carvalho.

Confrontado pela defesa de Manuel Vicente, o ex-vice-presidente de Angola acusado de corromper o procurador e de o ter contratado, o luso-angolano afirmou que "deve haver por aí uma agenda escondida" para o tentar envolver no processo.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui