Atrasos na Segurança Social deixam emigrantes na pobreza

CM 15 de dezembro de 2018

Serviços em Portugal reconhecem ter um atraso de oito meses.

Por Lusa - Correio da Manhã

A Associação Raras denunciou este sábado que centenas de emigrantes portugueses no Luxemburgo vivem em carência económica e pobreza quase extrema por atrasos da Segurança Social portuguesa na atribuição de pensões por invalidez, abonos de família e subsídios de desemprego.

Diariamente, a Associação Raras, que faz o acompanhamento administrativo a emigrantes portugueses no Luxemburgo, é confrontada com situações de atraso que os serviços em Portugal reconhecem ter um atraso de oito meses, mas que, na realidade, ultrapassa os dois anos, relatou à Lusa Isabel Ferreira, a presidente daquela organização luxemburguesa.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login