Câmara nega pagar 72 mil euros para fotografar só sete eventos

A.R.M. 25 de janeiro de 2018

... mas o contrato deixa dúvidas. A SÁBADO quis esclarecer as dúvidas. Contudo, os assessores da Câmara Municipal de Lisboa não responderam às diversas tentativas de contacto, quer por telefone, quer por e-mail.

A Câmara Municipal nega ter contratado um fotógrafo de renome por 71.923 euros (mais IVA), para registar as actividades do seu presidente, Fernando Medina, em apenas sete actos públicos específicos, até 2019.

A autarquia diz "o fotógrafo em causa não se limita a fotografar apenas sete eventos, antes acompanha diariamente as atividades da presidência do município, para lá de outros serviços para as publicações da CML". Além disso, diz que "os serviços referidos foram contratados de acordo com o que está tabelado para a contratação de serviços externos na CML". Por fim, a Câmara Municipal de Lisboa considera ainda que o artigo do Corvo, que avança a história, é revelador "do desconhecimento e má fé da notícia que lhe dá corpo".



Apesar dos esclarecimentos da autarquia, o contrato em questão deixa dúvidas. Segundo o contrato de prestação de serviços/avença, o fotógrafo foi contratado por Fernando Medina por ajuste directo "para acompanhar as actividades da Presidência da Edilidade Lisboeta, nos seguintes eventos, concretos e específicos:
- Espectáculo de Fim do Ano - 2017/2018 - Mês de Dezembro;
- Festival Eurovisão da Canção, em Maio de 2018;
- ModaLisboa, no mesmo mês e em Outubro;
- Volvo Ocean Race;
- Volta a Portugal em Bicicleta, em Agosto de 2018;
- Evento relacionado com Lisboa como Capital Europeia do Desporto 2021;"

Se o trabalho do fotógrafo em causa "não se limita a fotografar apenas sete eventos, antes acompanha diariamente as atividades da presidência do município, para lá de outros serviços para as publicações da CML", por que razão se lê o ponto supracitado no ponto dois da Cláusula Primeira? 

A SÁBADO quis esclarecer as dúvidas. Contudo, os assessores da Câmara Municipal de Lisboa não responderam às diversas tentativas de contacto, quer por telefone, quer por e-mail.

Noutro contrato de prestação de serviços entre o mesmo fotógrafo e o pelouro de Desporto da Câmara Municipal de Lisboa, também por ajuste directo, lê-se termos mais genéricos na mesma cláusula. Entre 15 de Novembro de 2016 e 25 de Outubro de 2017, o mesmo fotógrafo forneceu "serviços de registo fotográfico, tratamento de imagem e sistematização de imagem em arquivo".



Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais