É possível  a mudança política?
Nuno Rogeiro
13 de dezembro de 2021

É possível a mudança política?

A pouco mais de um mês das eleições, as divisões partidárias parecem congelar-se, há pazes e amnistias provisórias, e o ainda governo alivia o lastro incómodo. É assim possível um novo rumo?

O PSD restaurou a paz interna, sem golpe de estado nem repressão, e mostrou que não confunde renovação e suicídio, nem trouvailles cénicas com modernização.

O Chega – que é o segundo partido “da direita” – resolveu da melhor maneira a questão da liderança: mostrou que tem um mínimo de “democracia interna”, e opositores reais, e debate, e ao mesmo tempo provou que a linha geral do topo seduz a esmagadora maioria.

O CDS, à beira do abismo, decidiu enterrar e encerrar as diferenças pessoais, se bem que não tinha tido a coragem de abrir voto directo, um congresso e decisões quantificáveis.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais