Pandora ou o Exército Nacional de Idiotas
Eduardo Dâmaso Director
14 de outubro

Pandora ou o Exército Nacional de Idiotas

O Exército Nacional de Idiotas é toda a classe média, de países como o nosso, que paga proporcionalmente a maior fatura da carga fiscal porque os Rendeiros, os Canas, os Pinhos e os Sarmentos deste mundo potenciam vantagens nos paraísos fiscais.

Petros Márkaris é o melhor escritor grego contemporâneo e, a par do italiano Andrea Camilleri, falecido em 2019, um dos grandes renovadores do romance negro mediterrânico. Um e outro são herdeiros de Leonardo Sciascia, o racionalista siciliano e talentoso escritor, que nasceu há precisamente 100 anos e foi o inventor de muitas ideias sobre a gestão do poder do Estado, a hipocrisia e o jogo de sombras, produzindo a poderosa tese da sicilianização do mundo. Esta sicilianização do mundo é o que acontece quando o poder político e económico são, quase só, testas de ferro de interesses sombrios, geneticamente criminosos, que manipulam de forma sistemática as regras do Estado de direito democrático em seu proveito, seja evitando a perseguição penal, transformando largos setores do Estado em áreas de negócio exclusivas ou utilizando-o, através do direito e do poder legislativo, para branquear os seus lucros gigantescos com atividades que semeiam a morte, a desigualdade e a pobreza.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais