A tenebrosa democracia  brasileira
Eduardo Dâmaso Director
12 de abril de 2018

A tenebrosa democracia brasileira

O processo de Lula foi analisado e decidido por mais de uma dezenas de juízes. A sua defesa apresentou recursos em todas as instâncias. O habeas corpus foi utilizado até ao limite. Mas, mesmo assim, para uma parte da esquerda portuguesa, foi um golpe da direita

Lula da Silva foi condenado em todas as instâncias da justiça brasileira a 12 anos de prisão. O seu processo e respectiva sentença foi analisado e decidido por mais de uma dezena de juízes. A sua defesa apresentou recursos em todos os patamares possíveis. O habeas corpus foi utilizado até ao limite. Lula defendeu-se nos tribunais, nos órgãos de comunicação social e conseguiu transformar o seu processo numa causa política à escala planetária. Os tribunais, como uma das expressões essenciais da democracia brasileira, funcionaram melhor e mais rápido do que em muitas outras latitudes, incluindo a portuguesa, onde se permite aos arguidos endinheirados atrasarem a justiça anos a fio. Basta analisar, já não o processo de Isaltino Morais mas as manobras dilatórias de Armando Vara, no Face Oculta, e de José Sócrates, no Marquês.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais