João Paulo Raposo Secretário-geral da Associação Sindical dos Juízes Portugueses
19 de julho de 2016

Enquanto houver juízes em Ancara…

Numa qualquer rua deste país passaria bem por português. Estatura mediana, ligeiramente anafado e tez morena. Olhar vivo e um sorriso de quem parece estar bem com a vida. Chama-se Murat Durmaz e é um juiz turco

Numa qualquer rua deste país passaria bem por português. Estatura mediana, ligeiramente anafado e tez morena. Olhar vivo e um sorriso de quem parece estar bem com a vida. Nos seus altos trintas ou baixos quarentas. Chama-se Murat Durmaz e é um juiz turco. Representa internacionalmente a associação de juízes YARSAV, única independente nesse país.

Conhecemo-lo em reunião internacional de juízes em outubro passado. Mais que as intervenções públicas que, no seu correto inglês, foi proferindo, numa denúncia persistente das situações de atropelo grave da independência dos juízes na Turquia, retive as conversas particulares.

O mundo é mesmo um lugar pequeno. Nesta aldeia, aquilo que pensamos que são formas de estar e pensar próprias, na verdade, são comuns a muitas latitudes. As vivências são muito próximas. A Turquia é aqui ao lado. E a coragem e a cobardia são características universais…

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login