Entrevista
Entrevista

John Sweeney: “Putin é um monstro fraco e não vai usar armas nucleares”

John Sweeney: “Putin é um monstro fraco e não vai usar armas nucleares”
Vanda Marques 29 de outubro

Jornalista de investigação premiado, trabalhou na BBC, no jornal Observer, confrontou Trump, Putin e a Igreja da Cientologia. O britânico lançou o seu 13º livro sobre o “serial killer” do Kremlin.

"Sou o meu próprio chefe, desde que sou freelancer. Assim deixo de ter de lidar com a ansiedade dos chefes quando decido ir para a frente de batalha. Todas as vidas têm perigos e eu não sou um idiota”, explica à SÁBADO por telefone, sentado num carro em reportagem na Ucrânia. John Sweeney, de 64 anos, é jornalista de investigação com seis prémios e já assistiu a todo o tipo de violência, na Chechénia, no Kosovo, na Algéria ou no Burúndi. Diz que o mais difícil foi perder amigos jornalistas em conflitos, como Paul Jenks morto na Jugoslávia: “Uma parte de nós morre.” Mas a sua determinação não esmorece. Há anos que tem Putin debaixo de mira e logo em fevereiro partiu para Kiiv (sublinha que é assim que se diz porque “é um ponto de honra”). “Esta é a guerra mais justa desde a II Guerra Mundial. Não há dúvidas quanto ao lado certo. Não sou soldado, sou repórter. Mas luto com palavras.”

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
A Newsletter As Mais Lidas no seu e-mail
Às Sextas-Feiras não perca as notícias mais lidas da semana