Google censura app de propaganda dos talibãs

Cátia Andrea Costa 04 de abril de 2016

Grupo extremista assume que a ideia era chegar a uma maior audiência. Mas a aplicação violava as regras da Google devido aos discursos de ódio

A Google baniu uma aplicação dos talibãs da Google Play Store para smartphones e tablets com sistema Android. A aplicação, Pashto Afghan News – alemarah, pretendia fazer chegar a uma maior audiência a propaganda do grupo extremista afegão. Pashtum é uma língua falada no Afeganistão e em algumas zonas do Paquistão e Alemarah é o nome de uma rede de propaganda usada pelos talibãs, segundo o The Telegraph.

"Apesar de não comentarmos aplicações específicas, as nossas políticas estão desenhadas para providenciar uma experiência extraordinária para utilizadores e criadores. É por isso que removemos apps que violem estas regras da Google Play", disse um porta-voz da empresa ao referido jornal.

Na sua política de privacidade, a Google anuncia: "
Não permitimos a promoção de ódio direccionado a grupos de pessoas com base na sua raça ou origem étnica, religião, deficiência, sexo, idade, estatuto de veterano ou orientação sexual/identidade sexual."

Ainda assim, um representante do grupo insurgente disse à Bloomberg que a aplicação tinha sido retirada por questões técnicas. "A aplicação é parte dos nossos esforços tecnológicos avançados para chegar a uma audiência mais vasta", assumiu.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais