Testemunha revela "acordo" entre homicida e o jogador do São Paulo antes de crime macabro

Record 08 de novembro de 2018

Por Record - Record

A cada dia que passa, os contornos que envolvem a morte de Daniel Corrêa - jogador do São Paulo que foi encontrado sem vida numa mata com sinais de tortura, golpes do pescoço e sem os genitais - são ainda mais macabros. As autoridades brasileiras já ouviram várias testemunhas, incluindo o empresário brasileiro Edison Brittes Júnior, assassino confesso do jogador, e esta quinta-feira mais um 'episódio' saiu para a imprensa.

Segundo o 'Lance', uma testemunha afirmou que Edison Brittes teria convidado o jogador para ter relações sexuais com a sua mulher, Cristiana Brittes. "Ele disse que estava muito louco, que convidou Daniel para dormir com a mulher dele. Ele sabia, a mulher também, foi um acordo. E quando ele viu que realmente os dois estavam juntos na cama, revoltou-se e resolveu matar o Daniel", disse a testemunha.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login