Ricardo Chéu aborda saída do Rieti e fala do futuro

Record 08 de janeiro de 2019

Treinador luso irá continuar fora de portas

Por Pedro Morais - Record

Ricardo Chéu saiu do Rieti pelo próprio pé cerca de 5 meses depois de assumir o comando do emblema da Série C italiana. Em entrevista a Record, o técnico explicou as razões que estiveram na base desta decisão, revalando também alguns aspetos acerca do futuro e do novo rumo que dará à carreira. O próximo passo, conforme apurou e noticiou o nosso jornal, passará pelo Senica, da Eslováquia.Record: Esteve pouco mais de cinco meses no Rieti e saiu após uma vitória. O que motivou esta decisão?
Ricardo Chéu: Fui para Itália a convite de um senhor grego chamado Manthos Poulinaki, à altura dono do clube, que tinha à frente dos destinos uma pessoa de confiança. Passados 2 meses, essa pessoa pediu a demissão e o Mantho passou a presidente, ao que o presidente do ano anterior decidiu reaver a maioria da sociedade. Sendo fiel a quem me levou para Itália, neste caso ao senhor Poulinaki, a partir do momento em que vendeu o clube, pedi a demissão, por uma questão de ética profissiona e pessoal. Achei por bem sair por força das transformações que a nova sociedade ia realizar a nível organizativo e de jogadores. Daí ter pedido a demissão.

R: Sai de consciência tranquila?
RC: Completamente. A equipa era muito elogiada e já me fizeram chegar possibilidades de projetos para abraçar na próxima época, em Itália. Lá é diferente porque só podemos treinar um clube profissional por ano.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login