Leva 13 anos de prisão por asfixiar até à morte

CM 27 de junho de 2017

Tribunal deu como provado que Miguel Martins, de 36 anos, matou Poliana por não aceitar o fim do namoro.

Por Correio da Manhã

Miguel Martins, de 36 anos, nunca confessou em tribunal ter asfixiado Poliana Ribeiro até à morte. Admitiu ter discutido com a prostituta brasileira, de 34 anos, por quem estava apaixonado, quando a 4 de março do ano passado a mulher lhe comunicou que não tencionava manter o relacionamento "sério e duradouro" que lhe tinha proposto.

O coletivo de juízes de Guimarães deu como provado que o pedreiro apertou o pescoço de Poliana com a intenção de a matar e condenou o arguido a 13 anos de prisão. O advogado de defesa diz que a pena é "exagerada" e vai recorrer.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login