Investigador do caso dos Comandos conta que instruendo Hugo Abreu tinha "feridas em carne viva"

CM 31 de outubro de 2018

Major Brazão, o mesmo que está detido no caso de Tancos, testemunhou em tribunal.

Por Lusa - Correio da Manhã

O major Vasco Brazão, que liderou a investigação da Polícia Judiciária Militar (PJM) às duas mortes no curso de Comandos, disse esta quarta-feira em tribunal que o instruendo Hugo Abreu tinha "feridas em carne viva, nos joelhos e nos cotovelos".

Hugo Abreu e Dylan da Silva, à data dos factos ambos com 20 anos, morreram e outros nove instruendos sofreram lesões graves e tiveram de ser internados durante a denominada 'Prova Zero' (primeira prova do curso de Comandos) do 127.º curso de Comandos, que decorreu na região de Alcochete, distrito de Setúbal, a 04 de setembro de 2016.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui