Os muros das lamentações
João Pereira Coutinho Politólogo, escritor
11 de fevereiro de 2022

Os muros das lamentações

Perante um PS maioritário, a balcanização da direita é um pacto suicida. Razão pela qual a única questão relevante para as futuras lideranças do PSD e do CDS é saber se elas entendem a dimensão do sarilho e o que estão dispostas a fazer para o contornar.

Na douta opinião socialista, a eleição de Carlos Moedas em Lisboa foi um “incidente” sem sustentação política. O que significa isto? Que a oposição será firme, porém leal, durante o mandato de Moedas? Que o PS vai apresentar um candidato mais recomendável do que Fernando Medina nas próximas eleições autárquicas? Que, nessas eleições, vai tentar mobilizar o seu eleitorado sem revelar a displicência que exibiu em 2021?

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais