A traição da cabeleireira
Ângela Marques Jornalista
22 de dezembro de 2017

A traição da cabeleireira

Percebi que precisava de cortar o cabelo quando, esta manhã, com saudades do Verão e de um telemóvel com memória, me pus a rever fotografias das últimas férias.

Não foi enquanto escovava o cabelo, nem sequer quando tentava dissuadir três cabelos brancos de se transformarem em 300 antes do pôr-do-sol. Percebi que precisava de cortar o cabelo quando, esta manhã, com saudades do Verão e de um telemóvel com memória, me pus a rever fotografias das últimas férias.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais