Juiz diz a fotógrafo que culpa de perder o olho foi dele, não do tiro da polícia

Nuno Paixão Louro 19 de agosto de 2016

Sérgio Silva foi atingido por uma bala de borracha da Polícia Militar e perdeu o olho esquerdo em 2013. Agora, o tribunal diz que a culpa foi dele e, além disso, não precisa dos dois olhos para trabalhar

A justiça brasileira acaba de considerar culpado o fotógrafo Sérgio Andrade da Silva, um dos símbolos da violência policial que marcou as manifestações de 2013 no Brasil, por ter ficado cego quando estava a trabalhar e foi atingido num olho por uma bala de borracha durante uma marcha de protesto em São Paulo.

O juiz Olavo Zampol Júnior considerou agora, numa sentença que está a gerar polémica, que a culpa de ficar cego de um olho é do próprio fotógrafo que se colocou numa situação de risco ao cobrir as manifestações e trabalhar entre os manifestantes e a polícia. Mais: o juiz justificou a decisão dizendo que Sérgio Silva não precisa da "visão binocular", ou seja, dos dois olhos, para exercer a profissão e fotografar.



Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais