Interpol procura luso-descendente por assalto a base militar na Venezuela

CM 13 de agosto de 2017

No ataque terão participado pelo menos 20 indivíduos que surpreenderam os seguranças e foram diretamente ao depósito de armamento.

Por Correio da Manhã

As autoridades venezuelanas solicitaram a emissão de um "alerta vermelho" da Interpol para deter vários civis e militares, entre eles um general reformado, luso-descendente, por suspeita de conspirarem contra o Governo do Presidente Nicolás maduro.

Segundo o diretor dos Serviços Bolivarianos de Inteligência da Venezuela (SEBIN, serviços secretos), Gustavo González López, os civis e militares são acusados de participação no assalto à base militar de Paramacay, Estado de Carabobo (centro-norte do país) ocorrido a 06 de agosto último, durante o qual foi roubado vário armamento.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login