Bruno de Carvalho explica negócios de Montero, Alan Ruiz e Bruno César

Record 23 de fevereiro de 2019

Antigo presidente do Sporting faz revelações exclusivas sobre os três processos

Por Vítor Almeida Gonçalves - Record

No início de 2016, Fredy Montero deixou o Sporting e rumou aos chineses do Tianjin Teda, por 5 milhões de euros, como comunicado à data pelo clube. Em sentido inverso, os leões contrataram Hernán Barcos, também ao Tianjin Teda. A entrada do argentino, oficialmente, teve custo zero mas, na verdade, pesou 2 milhões de euros. O acordo foi realizado naqueles moldes para, admite agora Bruno de Carvalho, baixar o valor a pagar ao Seattle Sounders e a MLS, a liga norte-americana de futebol, que tinham direitos sobre Montero.

"A oferta do clube chinês foi de 7 milhões de euros, tanto que a comissão foram 350 mil euros, ou seja, 5% desses 7 milhões. Do mesmo clube, o Sporting queria o Barcos. O clube chinês pôs-lhe um valor de 2 milhões. Para defender os superiores interesses do Sporting e fazer o negócio da forma mais eficaz e eficiente, preferi fazer 5M€-0M€. Porquê? Porque parte do passe do Montero era do Seattle (Sounders), da MLS. Portanto, assim deu exatamente igual, porque (vender por) 7M€ e pagar 2M€ dá 5 M€, mas paguei uma percentagem menor de dinheiro à MLS", explicou Bruno de Carvalho, este sábado, a Record.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui