Seguro pede défice de 5% à troika

18 de setembro de 2013

Política

O secretário-geral do PS afirmou que vai defender na reunião com a 'troika', nesta quarta-feira, que a meta do défice em 2014 fique pelo menos nos 5% e que haja uma solução europeia para a mutualização das dívidas dos Estados-membros.

A direcção dos socialistas, liderada por António José Seguro, recebe em reunião, pelas 10h00 horas, na sede nacional do PS, os representantes da 'troika' no âmbito das oitava e nona avaliação ao programa de ajustamento português.

António José Seguro avançou com as posições que serão defendidas pelo PS perante a 'troika', durante um comício em Aveiro de apoio à candidatura socialista de Eduardo Feio à presidência da Câmara desta cidade.

"O Governo e a 'troika' têm de parar com os cortes na saúde, na educação, nas pensões e nas reformas dos portugueses. O Governo e a 'troika' têm de redefinir as metas orçamentais para o próximo ano. Pelo menos deve ficar em cinco por cento a meta orçamental para 2014", sustentou o líder dos socialistas.

Segundo Seguro, com uma meta orçamental de cinco por cento, em 2014, "isso permitiria não cortar nas pensões da Caixa Geral de Aposentação ou aplicar a TSU sobre o conjunto das reformas e das pensões no nosso país".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais