Investigação

Ex-espião liderava burla em pirâmide que obteve 15 milhões

Ex-espião liderava burla em pirâmide que obteve 15 milhões
Nuno Tiago Pinto 22 de janeiro

Um ex-diretor regional do SIS foi acusado de associação criminosa, burla qualificada e branqueamento de capitais. Fazia parte da WingsNetwork, um esquema em pirâmide que enganou mais de 13 mil pessoas e conseguiu angariar mais de 15 milhões de euros.

Impressionado pela apresentação que lhe tinha sido feita na Bielorússia, Dzianis Fedarovich viajou para Portugal em janeiro de 2014 para participar num jantar promovido pela WingsNetwork. Se já estava entusiasmado com a possibilidade de multiplicar rapidamente o investimento feito na empresa, mais ficou durante a refeição num restaurante de luxo da capital, onde a mulher que lhe falou na possibilidade de investimento, Irina Alabakova, o apresentou a Sergio Tanaka e Carlos Barbosa. 

Os dois homens eram os cérebros da WingsNetwork. E nesse jantar - onde estavam mais de 200 pessoas - fizeram novamente a apresentação do sistema que criaram e da respetiva fiabilidade e rentabilidade. No final, Dianis Fedarovich investiu quase 100 mil dólares - e perdeu tudo. 

Apresentada como uma empresa inovadora com produtos revolucionários para o mercado global de informática e comunicações, que prometia lucros astronómicos para os investidores - dependendo da angariação de novos membros - a WingsNetwork não era mais do que um elaborado esquema em pirâmide que, a partir de Portugal, lesou mais de 13 mil pessoas em todo o mundo num total que ascende a 15 milhões de euros. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
A Newsletter Geral no seu e-mail
Tudo o que precisa de saber todos os dias. Um resumo de notícias, no seu email. (Enviada diariamente)