Juiz só deu permissão para que Lula fosse ao funeral do irmão durante a cerimónia

Juiz só deu permissão para que Lula fosse ao funeral do irmão durante a cerimónia
Diogo Barreto 30 de janeiro de 2019

O presidente brasileiro viu dois apelos serem negados para assistir ao funeral do irmão. A autorização foi concedida já durante o cortejo fúnebre, minutos antes do enterro.

O irmão de Lula da Silva morreu esta terça-feira, aos 79 anos. O ex-presidente brasileiro, atualmente a cumprir pena de prisão, pediu permissão para assistir ao funeral, mas o pedido foi negado duas vezes, até que o presidente do Supremo Tribunal Federal deu a permissão. Mas a mesma só foi dada já durante o cortejo fúnebre, impedindo o presidente de estar presente.

Quando o presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hofmann, recebeu a notícia disse que a mesma tinha chegado muito tarde, já que o cortejo fúnebre já estava a sair da capela em direção ao enterro.

Na decisão de Dias Toffoli podia ler-se que Lula "tinha o direito de encontrar-se com familiares em local reservado e preestabelecido para prestar a devida solidariedade aos seus, mesmo após o sepultamento já que não há objeção da lei".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais