Entrevista

Simone de Oliveira: "É evidente que não temos ministra da Cultura. Está desaparecida"

Simone de Oliveira: 'É evidente que não temos ministra da Cultura. Está desaparecida'
Marco Alves 08 de abril

Simone de Oliveira acabou de anunciar que a sua carreira chegou ao fim, mas que haverá um concerto de despedida. Quando? Não sabe ainda, nem está preocupada. Aos 83 anos, falou com a SÁBADO de eutanásia, Padrão dos Descobrimentos, Santana Lopes e uma “princesa chata”.

Alfacinha de gema, mãe de dois filhos, avó de quatro netos, Simone de Oliveira estreou-se em público com 20 anos, em 1958. Já avisou que a carreira termina este ano. A cantora é a convidada da SÁBADO para mais edição da rubrica "Entrevistas Improváveis e uma Selfie", onde personalidades do mundo do espetáculo falam de assuntos diferentes dos que estamos habituados.


O que achou daquela manifestação de negacionistas?
Quando tiverem uma pessoa a morrer por causa disso, talvez aprendam. Acho uma atitude parva. Se é para dar nas vistas, não vale a pena. Concordo perfeitamente com a máscara e com o estarmos confinados, até para ver se não morremos todos.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
A Newsletter Geral no seu e-mail
Tudo o que precisa de saber todos os dias. Um resumo de notícias, no seu email. (Enviada diariamente)