'Toupeira' diz que recebia bilhetes de outros clubes

CM 15 de novembro de 2018

Júlio Loureiro garante que os brindes eram para amigos seus.

Por Débora Carvalho - Correio da Manhã

Júlio Loureiro, o funcionário judicial de Guimarães acusado de 79 crimes no processo E-Toupeira, terá dito esta quarta-feira à juíza Ana Peres, na primeira sessão da instrução, que não era apenas o Benfica que lhe dava bilhetes para os jogos.

A ‘toupeira’ das águias, que terá recebido bilhetes e camisolas em troca de informações sobre inquéritos em segredo de justiça, não nomeou nenhum clube mas, apurou o CM, terá justificado as ofertas com o facto de estar ligado há mais de 30 anos à arbitragem. Assumiu ainda a amizade de longa data com Paulo Gonçalves, ex-assessor jurídico do Benfica, que presta depoimento esta sexta-feira. O advogado não esteve presente em tribunal.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui