Relação mantém pena efetiva de quatro anos e meio de prisão a inspetor da PJ

CM 06 de fevereiro de 2018

Emanuel Briosa mantém-se em prisão preventiva desde 25 de julho de 2016.

Por Correio da Manhã

O Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) manteve a pena efetiva de quatro anos e meio de prisão aplicada a um inspetor da Polícia Judiciária por ter desviado 40.000 euros durante buscas a uma residência em Cascais.

Emanuel Briosa, acusado e julgado por desviar 200.000 euros no decorrer de buscas a uma residência, no âmbito do processo "Rota do Atlântico", em que o empresário José Veiga é um dos arguidos, foi condenado a 11 de julho do ano passado pelo Tribunal de Cascais.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login