Entrevista
Futebol

Fejsa: "Na despedida do Benfica, chorei todo o dia"

Pedro Ponte 27 de março
Biografia Nome:

Fejsa

Cargo:

Futebolista

Nascimento:

32 anos

Nacionalidade:

Sérvia

Ljubomir Fejsa falou com a SÁBADO desde Belgrado, enquanto fazia uma nova tatuagem. Recordou os sete anos no Benfica e a infância em Vrbas, marcada pela guerra dos Balcãs. A jogar na Arábia Saudita, diz que apenas espera que o Sérvia-Portugal, este sábado, "seja um bom jogo de futebol".

Joga no Al-Ahli Jeddah, da Arábia Saudita, mas continua a receber mensagens de adeptos que lhe pedem para voltar ao Benfica, onde jogou sete épocas (e venceu cinco campeonatos). Fejsa, de 32 anos, recorda a guerra – "vivi e senti os bombardeamentos" –, desculpa Jorge Jesus pela saída para o Sporting e recorda os jogos entre Portugal e Sérvia que disputou, sempre "com as emoções à flor da pele".

Como está a ser a sua vida na Arábia Saudita?
A vida em Jeddah é boa. Não sabia bem o que me esperava mas é um país com um estilo de vida ordeiro e pessoas simpáticas e isso faz-nos sentir seguros. O governo saudita tem lidado bem com a pandemia e as medidas que foram tomadas resultaram. As fronteiras foram encerradas e as pessoas têm respeitado as regras. Agora também começou o processo de vacinação e o número de infetados tem baixado, o que é muito importante. De resto, é um país com muito sol e também o facto de ter encontrado um bom balneário fez com que a adaptação não tivesse sido muito difícil.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
A Newsletter Geral no seu e-mail
Tudo o que precisa de saber todos os dias. Um resumo de notícias, no seu email. (Enviada diariamente)