Crítica de livros: A Mulher da Lama

Joyce Carol Oates (na foto) escreve sobre a história traumática de Meredith Ruth Neukirchen

Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 25 de fevereiro a 3 de março
As mais lidas GPS
Eduardo Pitta 29 de fevereiro de 2016

Como de regra, Joyce Carol Oates (n. 1938) escreve a contracorrente da ficção dominante. A Mulher da Lama não é excepção. A história traumática de Meredith Ruth Neukirchen, ou M. R., a mulher que no romance é escolhida para dirigir uma universidade da Ivy League, subsume várias das obsessões da autora: abuso, poder, identidade, questões de género, psique feminina.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
A Newsletter Semanal Gps no seu e-mail
A GPS indica-lhe as melhores sugestões de fim de semana. Receba todas as semanas no seu email. (Enviada semanalmente)