Sabia que sopro cardíaco em crianças não significa sempre doença?

O sopro é um som auscultado no funcionamento do coração.
Por Cláudia Machado 25 de Fevereiro de 2017 às 09:43
Desde que a pessoa nasce, pode ter um sopro cardíaco. O ruído no coração pode ser identificado em qualquer idade." E o ruído "é muito mais frequente" do que se possa pensar, particularmente nos mais pequenos: estudos apontam para que até 75% das crianças em idade escolar tenham um sopro cardíaco em algum momento da vida.

"O sopro cardíaco é um ruído que se ausculta no funcionamento do coração. Pode ser inocente ou fisiológico, o que significa que não está ligado a uma doença do coração, ou pode ser patológico, estando associado a um problema", explica José Martins, médico especialista e coordenador da Unidade de Cardiologia Pediátrica do Hospital Lusíadas, em Lisboa.

Na maioria dos casos pediátricos, não há motivos para preocupações, porque a prevalência tende a ser dos inocentes. "Nas crianças, auscultamos o sopro inocente porque têm o tórax mais estreito e uma camada adiposa menor, e assim é mais fácil ouvir as vibrações. A partir do momento em que crescem em tamanho e largura, é mais difícil ouvi-los e, por isso, se diz de forma comum que o sopro costuma ‘passar’", refere o especialista. Já nos adultos, "é raro auscultarmos sopros inocentes", o que significa que é mais comum que o ruído seja "um sinal de doença cardíaca". "Não sabemos por que razão existem os sopros inocentes, mas, por partilharem o termo ‘sopro’ com os patológicos, as pessoas tendem a associá-los à presença de uma doença. A palavra é a mesma, mas num caso é sinal de doença e no outro não é absolutamente nada", destaca José Martins.
Relacionadas
Notícias Recomendadas

Marketing Automation certified by E-GOI

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A.
Consulte a Política de Privacidade Cofina.