Será que sofre de ansiedade? Os sintomas mais (e menos) prováveis

Em condições normais, a ansiedade é uma emoção bastante útil, que funciona como um estimulante. Contudo, torna-se incómodo quando não a conseguimos controlar, para não falar dos sintomas menos comuns que por norma são mal interpretrados.
Por Ana Damião 14 de Janeiro de 2022 às 07:00
Foto: Pexels

A ansiedade não se manifesta de igual modo em todos os indivíduos. E talvez seja por esta razão que algumas pessoas nem sabem que dela sofrem. Mas comecemos pelo início. Em situação normal, é uma emoção comum e bastante útil, pois permite-nos identificar situações de perigo e a prepararmo-nos para ditos confrontos. Este é o tipo de ansiedade que, quando bem controlada, atua como um estimulante, e que é muitas vezes accionada através do cortisol (que quando é excessivo, se torna tóxico).

Contudo, quando experienciamos sentimentos de tensão, preocupação e insegurança de forma persistente, acompanhados por alterações físicas como aumento da pressão arterial, tremores, tonturas, dores de estômago ou suores, temos um problema. Por norma, os indivíduos ansiosos irritam-se facilmente, não dormem bem, têm dificuldade em se concentrar, cansam-se facilmente e estão em constante nervosismo. Dito isto, nem todo o sintoma de ansiedade é facilmente detetado, como explicou Liz Matheis, psicóloga em Nova Jersey, num artigo do site Psychology Today.

Segundo Matheis, esta é uma patologia que pode ser facilmente interpretada como desinteresse e distanciamento quando, na maior dos casos, tudo o que o indivíduo quer é ser aceite e estar presente. Mas em vez disso, tem a mente cheia de pensamentos como "estou a ser julgado?", "será que se sentem mal à minha volta?", "estamos seguros?", "onde é que eu me sento/fico?" ou "falo agora?"

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Relacionadas
Notícias Recomendadas