Internados com Covid-19 continuam com sintomas meses depois da infeção

Estudo da Universidade de Oxford aponta que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão.
Por Diogo Camilo 19 de Outubro de 2020 às 18:00
A SÁBADO no Hospital Curry Cabral durante a pandemia de covid-19 - novo coronavírus
A SÁBADO no Hospital Curry Cabral durante a pandemia de covid-19 - novo coronavírus

A Covid-19 tem efeitos imediatos, com mais de um milhão de vítimas da pandemia entre mais de 40 milhões de infetados, mas tem também efeitos a longo prazo. Um estudo da Universidade de Oxford mostra que a grande maioria dos pacientes internados com o novo coronavírus continuam a experienciar sintomas da doença, como a falta de ar ou cansaço, meses depois do seu diagnóstico e de estarem curados. E a pandemia também aumenta o risco de sofrerem de ansiedade e depressão.

Numa pré-publicação divulgada este domingo, cientistas de Oxford detetaram ainda anomalias em vários órgãos e inflamações persistentes em sobreviventes da Covid-19.

Dois a três meses depois de receberam alta de hospitais, 64% dos pacientes com o novo coronavírus abordados pela investigação experienciaram falta de ar e 55% relatou sentir cansaço generalizado.

De acordo com o estudo, infetados pela Covid-19 que já foram hospitalizados também vêm aumentar a sua probabilidade de apresentarem sintomas de média ou grave ansiedade (de 10% para 35%) e de depressão (17% para 39%).

Os números mais problemáticos vai para as anormalidades observadas em múltiplos órgãos: mais de metade dos pacientes estudados (60%) apresentaram anomalias nos pulmões após a infeção, enquanto 29% mostraram problemas nos rins, 26% no coração e 10% no fígado.

O estudo concluiu ainda que a infeção pela Covid-19 veio diminuir a tolerância de pacientes com Covid-19 para o exercício e a distância percorrida por estes em seis minutos.

Para a investigação foram alvo de estudo 58 pacientes internados com a Covid-19, com idade média de 55 anos. Destes, 21 precisaram de ser internados nos cuidados intensivos devido à doença.

Não é a primeira vez que são conhecidos casos em que os sintomas da Covid-19 continuam meses depois do diagnóstico e não existem estudos sobre os efeitos a longo prazo da doença que permitam saber se estes permanecerão meses ou anos depois da primeira infeção.

Em setembro foi conhecido o caso de Charlie Russel, de 27 anos, que havia sido infetado pelo novo coronavírus em março. Desde então, o jovem britânico experienciou dores no peito, dores de cabeça constantes, falta de ar, tonturas e um cansaço constante.

Um artigo publicado pela revista Science em abril alertava já para os efeitos persistentes do vírus em doentes internados em cuidados intensivos devido à covid-19, mesmo depois de recuperados. O vírus danifica não apenas os pulmões mas também os rins, os vasos sanguíneos, o coração, o cérebro e outros órgãos, segundo a revista, que acrescentava serem ainda desconhecidos os problemas a longo prazo causados pelo novo coronavírus.

Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

Eletromagnetismo, treinar o corpo sem ir ao ginásio

Mais firmeza, menos "relevo" e mais energia são os efeitos sentidos depois de seis sessões de eletromagnetismo de alta intensidade numa clínica de estética em Lisboa. Saiba como funciona esta técnica, que alcança 20 mil contrações musculares em 30 minutos.

Ciência

Covid-19. O que mais pode fazer para evitar contágios?

Mais prevenção, comunicação assertiva, meios para interromper as cadeiras de transmissão. Ricardo Mexia, médico da saúde pública e epidemiologista, reforça aquilo que já devia estar a ser feito e o que podemos mudar para evitar contágios em Portugal.

Ciência

O que deve saber para combater a nova variante da Covid-19

Ricardo Mexia, médico de saúde pública e epidemiologista, explica quais os aspectos mais preocupantes em relação às novas mutações do vírus, e como Portugal está a sofrer com o seu aparecimento. Saiba também a que sintomas estar atento/a.

Marketing Automation certified by E-GOI

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A.
Consulte a Política de Privacidade Cofina.