Mutações podem tornar a Covid-19 mais perigosa?

O novo coronavírus está a mudar em todo o mundo, Portugal incluído. E a mudança de material genético não é necessariamente má: ajuda a conhecer de onde veio o vírus, para onde vai, com que rapidez muda e se está a mudar para melhor, ou pior.
Por Diogo Camilo 24 de Maio de 2020 às 10:37
coronavirus virus
coronavirus virus

Numa altura em que o novo coronavírus já chegou a quase todo o mundo, surgem alertas para a maneira como este está a mudar: são muitas as mutações já observadas, algumas mais letais que o vírus da Covid-19 que afetou Wuhan, a cidade onde teve origem a pandemia. A rapidez com que a doença está a mudar pode retardar o aparecimento de uma vacina, originar novos sintomas e mudar tratamentos.

Como é que o vírus da Covid-19 muda e para que servem as mutações?

De uma maneira geral, todos os vírus têm mutações. Como os vírus não se conseguem reproduzir por si mesmos, utilizam as células do corpo humano para se replicarem. Ao "raptarem" as células do nosso organismo para reproduzir a sua própria informação genética, essa informação pode mudar. São os chamados erros de fotocópia, mutações aleatórias que fazem com que o vírus replicado seja diferente do original.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

O verdadeiro peso da performance sexual numa relação

“Os homens focam-se na performance, sentem que têm de ser ótimos enquanto amantes e têm que dar prazer, e elas têm de ser sexy e sensuais” Marta Crawford, sexóloga, desmistifica as questões das “deusas” e “deuses” do amor.