Estudo avança que nicotina contribui para cancro do pulmão formar metástases no cérebro

Análise descobriu que os fumadores de cigarros tinham incidência mais alta de cancro do cérebro.
Por Lusa 4 de Junho de 2020 às 18:40
Tabaco
Tabaco
Cientistas sugerem num estudo hoje publicado que a nicotina, substância não carcinogénea presente no tabaco, contribui para que o cancro no pulmão se dissemine no cérebro, formando metástases.

Uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina de Wake Forest, nos Estados Unidos, examinou 281 doentes com cancro do pulmão e descobriu que os fumadores de cigarros - cujo número não é indicado - tinham uma incidência significativamente mais alta de cancro do cérebro.

Ao usarem o rato como modelo numa experiência de laboratório, a equipa verificou que a nicotina aumenta a formação de metástases no cérebro, ao atravessar a barreira hematoencefálica alterando os microgliócitos, células imunes do Sistema Nervoso Central.

Notícias Recomendadas
Coronavírus

Mutações podem tornar a Covid-19 mais perigosa?

O novo coronavírus está a mudar em todo o mundo, Portugal incluído. E a mudança de material genético não é necessariamente má: ajuda a conhecer de onde veio o vírus, para onde vai, com que rapidez muda e se está a mudar para melhor, ou pior.

Marketing Automation certified by E-GOI

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A.
Consulte a Política de Privacidade Cofina.