O que causa halitose? Conheça as causas do problema e como o prevenir

Halitose não é um problema médico grave, mas pode ter sérias implicações psicológicas e sociais.
Por Ana Maria Ribeiro 9 de Março de 2020 às 01:30
Halitose
Halitose
A halitose, denominada popularmente por mau hálito, é o termo médico usado para descrever a presença de um odor desagradável na cavidade oral. É um problema muito frequente (estima-se que cerca de 30% da população mundial sofra de halitose) e transversal às diversas classes sociais e faixas etárias.

Embora não seja um problema médico grave, "a halitose pode ter sérias implicações psicológicas e sociais, originando por vezes quadros de baixa autoestima, isolamento e depressão", diz Carlos Almeida, médico dentista do Instituto Dentário Alto dos Moinhos (Lisboa).

As causas para a formação da halitose são variadas e o tratamento depende da identificação da sua origem. O diagnóstico, porém, nem sempre é fácil, "uma vez que a boca comunica com todo o sistema digestivo e respiratório e, indiretamente, através destes com todo o nosso corpo".

De uma forma geral, as causas podem ser divididas em causas orais (devido à fraca higiene oral ou a cáries, gengivites, úlceras ou aftas); causas respiratórias (como sinusite, rinite, amigdalite); causas digestivas (como o refluxo gastroesofágico); causas aditivas (consumo de tabaco e álcool); causas sistémicas (diabetes, problemas hepáticos e renais); causas tumorais (alguns tumores, principalmente da boca, faringe e laringe); e causas dietéticas (o consumo de alimentos facilmente fermentáveis como o pão, cereais, alho e cebola são igualmente responsáveis pelo aparecimento do mau odor).

SINTOMAS
Atenção ao hálito
O mau hálito matinal deve-se à diminuição do fluxo salivar durante o sono e é eliminado com a higienização oral da manhã, quando o fluxo salivar retoma os valores normais.

Causa medicamentosa
Alguns medicamentos (como sais de lítio, penicilina e tiocarbamida) podem alterar a sensação de gosto e olfato, dando a sensação do mau hálito. Outros medicamentos, como anti-histamínicos, anfetaminas, tranquilizantes ou diuréticos, provocam diminuição do fluxo salivar e provocam o mau hálito.

Halitose imaginária
Algumas pessoas preocupam-se muito com o hálito, ao ponto de acharem que têm mau hálito quando não têm (halitose imaginária). Como é difícil avaliar o próprio hálito, o ideal é pedir a alguém próximo que faça essa avaliação.

Halitose temporária
A halitose de origem alimentar, que é temporária, pode ser causada pela ingestão de alimentos com alho, cebola, condimentos e bebidas alcoólicas ou jejum prolongado. O metabolismo desses alimentos e bebidas produz ácidos excretados pelos pulmões.

PREVENÇÃO
Higiene é fundamental
A higiene oral é muito importante na prevenção da halitose. Escovar os dentes e a língua após as refeições, usar fio dentário e lavar bem as próteses são formas possíveis de prevenção.

Não esquecer o dentista
A escova de dentes deve ser mudada com regularidade (em média a cada dois ou três meses) e as visitas a um especialista de estomatologia ou de medicina dentária devem ser regulares (é recomendado fazê-lo uma ou duas vezes por ano, para se certificar de que tudo está bem).

Evitar o açúcar
É importante evitar a secura da boca, ingerindo água e evitando o tabaco. Café, bebidas açucaradas e álcool também podem causar secura da boca. O uso de uma pastilha elástica sem açúcar ajuda a estimular a produção de saliva. Alimentos e bebidas com muito açúcar são de evitar.

COMO SE TRATA
A maioria dos casos de halitose está ligada a patologias da boca. O primeiro passo do tratamento passará por consultas regulares de higiene oral. A instrução dos cuidados de manutenção higiénica (incluindo a escovagem da língua), a orientação dietética e de cessação de comportamentos aditivos são fundamentais. Os restantes tratamentos passam por tratar cáries que estejam presentes, controlo de doença periodontal ativa, extração de dentes inviáveis, substituição de restaurações infiltradas e próteses dentárias danificadas.

O ESPECIALISTA
"Deve ir ao dentista de 6 em 6 meses"
"É fundamental escovar os dentes e a língua após as refeições e o uso de fio dentário pelo menos uma vez por dia" diz Carlos Almeida. "Deverá realizar uma consulta de higiene oral com o dentista ou higienista oral de 6 em 6 meses."
Relacionadas
Notícias Recomendadas
Família

De amantes a amigos

Na altura em que o ‘até que a morte nos separe’ dá lugar ao ‘enquanto o amor durar’, nasce uma nova forma de separação. Aqui, o ex passa de amante a amigo, aliado numa relação que se recicla e reinventa.

Marketing Automation certified by E-GOI

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A.
Consulte a Política de Privacidade Cofina.