Hérnia discal: o que é, como prevenir e como tratar

As principais queixas associadas à hérnia são dor, adormecimento ou perda de força numa ou em ambas as pernas.
Por Vanessa Fidalgo 12 de Março de 2020 às 02:57
Grandes cargas e uma má postura contribuem para a ocorrência deste problema da coluna
Grandes cargas e uma má postura contribuem para a ocorrência deste problema da coluna
A coluna vertebral é composta por vértebras separadas por discos intervertebrais, formados por uma parte externa (o chamado anel fibroso) e uma parte interna (o núcleo polposo). Estes verdadeiros ‘amortecedores’ permitem que a coluna absorva a energia da carga, mantendo a flexibilidade e estabilidade.

No entanto, pode ocorrer "uma hérnia discal quando o disco é submetido a uma carga maior e uma parte dele migra para o canal vertebral", explica Armando Barbosa, médico anestesiologista, especialista no tratamento da dor.

Consoante o tamanho e a sua forma, a hérnia pode ter várias designações e os seus sintomas também podem divergir. As pessoas mais atingidas são aquelas que efetuam esforços, embora o sedentarismo também contribua para o aparecimento das hérnias por atrofia muscular. "Por isso, também é mais comum entre os 30 e 50 anos. Após essa idade, é mais comum aparecer outro tipo de patologia na coluna vertebral, como as artroses da coluna", explica Armando Barbosa.

Os atletas apresentam igualmente um risco mais elevado de sofrer uma lesão de um disco como consequência direta da sua atividade física.

Desportos como o esqui, basquetebol, futebol, ginástica, corrida, golfe ou ténis, que exercem muita pressão sobre a coluna, exigindo absorção dos impactos, torções e outros movimentos violentos, são mais arriscados e propensos ao surgimento da hérnia discal.

SINTOMAS
Dificuldade na marcha
A dor provocada pela herniação da coluna acaba por dificultar a marcha, os movimentos ou mesmo impossibilitá-los.

Dor e cefaleias
Quando o disco herniado se localiza na região cervical, a dor ocorre no pescoço com irradiação para os ombros ou para um braço. Pode ainda causar cefaleias na região da nuca.

Desequilíbrio
Muitos pacientes queixam-se de sensação de formigueiro e adormecimento dos membros inferiores, o que provoca também perdas de equilíbrio.

Diminuição dos reflexos
Como todas as doenças que provocam constrangimento dos movimentos, a hérnia de disco pode levar a uma diminuição da capacidade de resposta.

Descontrolo do esfíncter
Não sendo frequente, a hérnia discal pode ainda provocar situações de descontrolo dos esfíncteres.

Genética
Os antepassados têm peso nesta matéria. Se é o seu caso, adote precocemente medidas preventivas.

PREVENÇÃO
Exercício
A prática de exercício físico mantém os músculos das costas, pernas e abdómen mais fortes, suportando melhor a coluna. Os exercícios aeróbicos são muito úteis e é importante equilibrar exercícios de força e de flexibilidade na atividade física regular.

Repouso adequado
Deve-se dormir sobre um colchão firme e numa posição lateral.

Postura
Manter uma postura correta é essencial ao fazer esforços mas também na posição sentada. Neste caso, é preciso manter as costas direitas e os ombros para trás, o abdómen para dentro e os pés bem apoiados no chão. Se estiver sentado durante longos períodos, realize exercícios de extensão da coluna de um modo regular.

O ESPECIALISTA
"Há soluções minimamente invasivas"
"Existem atualmente novas opções minimamente invasivas e alternativas à cirurgia, como a ozonoterapia, laser eutérmico ou o plasma light - introdução de fina fibra ótica no interior do disco para descompressão do nervo."

COMO SE TRATA
Existem várias opções de tratamento: "Numa fase inicial deve iniciar-se um tratamento conservador com medicação e fisioterapia", diz Armando Barbosa. Depois existe a cirurgia convencional e a endoscópica. "Esta última apresenta vantagens: a dor fica resolvida imediatamente, é minimamente invasiva, pode ser feita com anestesia local, traz menos dor pós-operatória comparado à cirurgia convencional, menos incidência de complicações, uma reduzida ferida e cicatriz, entre outras vantagens", afirma o especialista.
Notícias Recomendadas
Ciência

O que faz o novo coronavírus dentro do nosso corpo?

Já sabemos quais são os sintomas da Covid-19 - febre, tosse e dificuldade em respirar. Mas como é que estes são provocados? E como entra o vírus dentro do organismo? A "raptar" as nossas próprias células.

Bem Estar e Nutrição

Quanto tempo sem sexo é muito tempo?

Ter uma vida sexual constantemente ativa é um privilégio de um número raro de pessoas. O resto dos mortais oscila entre períodos de sexo frequente e épocas sem nada, independentemente de terem ou não um parceiro.

Marketing Automation certified by E-GOI

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A.
Consulte a Política de Privacidade Cofina.