Famílias portuguesas demonstraram grande capacidade de adaptação à pandemia de Covid-19

Estudo procurou conhecer o funcionamento e resiliência familiar.
Por Lusa 23 de Novembro de 2020 às 09:36
Família xxx
Família xxx
As famílias portuguesas demonstraram uma capacidade muito grande de adaptação e de resiliência no período de crise pandémica que o país atravessa desde março, de acordo com um estudo divulgado no sábado em Coimbra.

Realizado por uma equipa do Instituto Superior Miguel Torga (Coimbra), entre 16 de março e 25 de outubro, atravessando as várias fases da pandemia da covid-19, o estudo procurou conhecer o funcionamento e resiliência familiar, tendo envolvido 432 participantes de todo o país, a esmagadora maioria de nacionalidade portuguesa.

"Os resultados revelam dados interessantes, um dos primeiros dados é que, no geral, do ponto de vista da funcionalidade, em particular, a coesão e flexibilidade (capacidade de adaptação), as famílias mostraram-se muito flexíveis", explicou à agência Lusa Joana Sequeira, coordenadora do estudo que foi apresentado no 7.º Congresso (Inter)Nacional Conversas de Psicologia, promovido pela Associação Portuguesa Conversas de Psicologia.

Segundo a responsável, os inquiridos responderam individualmente, mas reportando-se às suas famílias.

"Temos quase 70% das famílias que se veem como muito flexíveis, ou seja, com grande capacidade de ajustamento e adaptação, e também com elevada coesão, com quase 50% das famílias inquiridas a revelarem-se muito coesas", disse Joana Sequeira.

O estudo mostrou também, de acordo com a coordenadora, que os resultados da resiliência são elevadíssimos no geral. Mais especificamente, na forma como perspetivam a crise - sistemas de crenças - nos padrões organizacionais e na comunicação e estratégias de resolução de problemas são também elevados.

As famílias têm um "sistema de crenças positivas que ajuda a lidar com a adversidade e acreditar que há uma solução e que juntos conseguem superar a adversidade".

O estudo "Funcionamento e resiliência familiar" conclui que as "famílias ajustaram o seu funcionamento familiar face à crise, com coesão e flexibilidade, mantendo prioridades e rotinas".

Os múltiplos impactos da crise acabaram por revelar uma elevada resiliência nas famílias, que suportam melhor esta crise pandémica do que as pessoas que residem sozinhas.

Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

Eletromagnetismo, treinar o corpo sem ir ao ginásio

Mais firmeza, menos "relevo" e mais energia são os efeitos sentidos depois de seis sessões de eletromagnetismo de alta intensidade numa clínica de estética em Lisboa. Saiba como funciona esta técnica, que alcança 20 mil contrações musculares em 30 minutos.

Ciência

Covid-19. O que mais pode fazer para evitar contágios?

Mais prevenção, comunicação assertiva, meios para interromper as cadeiras de transmissão. Ricardo Mexia, médico da saúde pública e epidemiologista, reforça aquilo que já devia estar a ser feito e o que podemos mudar para evitar contágios em Portugal.

Ciência

O que deve saber para combater a nova variante da Covid-19

Ricardo Mexia, médico de saúde pública e epidemiologista, explica quais os aspectos mais preocupantes em relação às novas mutações do vírus, e como Portugal está a sofrer com o seu aparecimento. Saiba também a que sintomas estar atento/a.

Marketing Automation certified by E-GOI

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A.
Consulte a Política de Privacidade Cofina.