Especialista em cardiologia aconselha: “Façam exercício, mantenham-se ativos”

Maio é, tradicionalmente, o mês do coração. Este ano é celebrado em novos moldes.
Por Ana Maria Ribeiro 14 de Maio de 2020 às 08:42
Especialista em cardiologia, Ana Teresa Timóteo
Especialista em cardiologia, Ana Teresa Timóteo Foto: Direitos Reservados

No mês do coração, a Sociedade Portuguesa de Cardiologia lembra que nunca fez tanto sentido como agora cuidar da ‘máquina’.

CM – Neste ano as celebrações são diferentes?
Ana Teresa Timóteo – Muito diferentes. Todos os anos tentamos promover iniciativas que envolvam o cidadão, mas neste ano, e dadas as circunstâncias em que vivemos, tal não será possível. Estamos a usar os meios digitais e as redes sociais.

– É pertinente lembrar o coração, sabendo que os doentes cardíacos são grupo de risco?
- Sem dúvida. A proporção de doentes cardiovasculares infetados é significativa e, uma vez infetados, têm uma taxa de mortalidade elevada. A taxa global de mortalidade pela Covid-19 é de 3%. Nos idosos está entre os 8 e os 14%, e nos doentes cardiovasculares é de 10 ou 11%.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Notícias Recomendadas