Mulheres estão mais sujeitas ao Alzheimer

Estudo revelou que menopausa potencia doença. Até agora pensava-se que longevidade do sexo feminino era a razão.
Por Correio da Manhã 29 de Junho de 2020 às 12:01
Alzheimer
Alzheimer
Cientistas de uma universidade dos EUA descobriram que as mudanças nos níveis hormonais, nomeadamente a perda de estrogénio, durante a menopausa podem ser a resposta para o Alzheimer se manifestar mais no sexo feminino.

Até ao momento, os cientistas consideravam que as mulheres eram as mais atingidas pela doença por que têm uma maior longevidade que os homens.

"As nossas descobertas sugerem que as mulheres de meia-idade podem estar mais em risco de contrair a Alzheimer, talvez por causa de níveis mais baixos da hormona de estrogénio durante e após a menopausa", explica Lisa Mosconi, autora do estudo realizado no Weill Cornell Garduate School of Medical Sciences em Nova Iorque.

"Embora todas as hormonas sexuais estejam provavelmente envolvidas, as nossas descobertas sugerem que o declínio do estrogénio está relacionado com as anormalidades dos marcadores de Alzheimer nas mulheres que observamos", acrescentou Lisa Mosconi.

O estudo foi realizado com uma amostra de 85 mulheres de meia-idade e 40 homens sujeitos a exames às quatro principais áreas do cérebro onde a doença se desenvolve.

A Organização Mundial de Saúde estima que existam em todo o mundo 47.5 milhões de pessoas a sofrer com demência. A doença de Alzheimer representa 60 a 70% de todos os casos de demência.
Notícias Recomendadas
Família

Histórias de infidelidade em tempos de Covid-19

Na vida em casal, a convivência permanente pode ocasionar uma série de intempéries, à partida nada que não se resolva ou assim garantem os especialistas. O problema é quando o tal infortúnio veste o nome de infidelidade. Como lidar como uma traição que tem de ser gerida entre as quatro paredes de uma casa, e sem qualquer tipo de escape?

Coronavírus

Mutações podem tornar a Covid-19 mais perigosa?

O novo coronavírus está a mudar em todo o mundo, Portugal incluído. E a mudança de material genético não é necessariamente má: ajuda a conhecer de onde veio o vírus, para onde vai, com que rapidez muda e se está a mudar para melhor, ou pior.

Marketing Automation certified by E-GOI

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A.
Consulte a Política de Privacidade Cofina.