Diagnóstico precoce é fundamental para tratar doenças associadas ao sono, revela especialista

Acidentes de viação e acidentes de trabalho, bem como doenças cardiovasculares e cerebrovasculares são riscos associados às patologias respiratórias do sono.
Por Lusa 19 de Março de 2021 às 10:27
Dormir, sono
Dormir, sono Foto: Freepik

Acidentes de viação e acidentes de trabalho, bem como doenças cardiovasculares e cerebrovasculares são riscos associados às patologias respiratórias do sono mais frequentes, descreveu esta sexta-feira a pneumologista Marta Drummond, alertando para a importância do diagnóstico precoce.

No dia em que se comemora o Dia Mundial do Sono, Marta Drummond, que dirige o Centro de Responsabilidade Integrado (CRI) de Sono e Ventilação não Invasiva (VNI) do Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ), no Porto, descreveu à agência Lusa os sintomas, tratamentos e principais riscos de patologias, cuja prevalência tem vindo a aumentar nas últimas décadas.

"Os riscos destas doenças são muito importantes para a sociedade e têm impacto na qualidade de vida dos doentes. São um problema de saúde pública porque quem anda na estrada, seja como peão ou condutor, está sujeito aos riscos das pessoas que adormecem ao volante. Há ainda o risco de doença cardiovascular e cerebrovascular, entre outros. Mas estas doenças, depois de diagnosticadas, têm um tratamento eficaz. E se temos um tratamento eficaz, temos de ser rápidos no diagnóstico e na instituição do tratamento", defendeu a especialista.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Relacionadas
Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

Deixou de fazer exercício físico e agora?

Começou com uma semana que depressa se tornou num mês e, quando deu por si, já não treinava há um ano. Pensava mesmo que o seu corpo não ia dar conta? Um especialista explica o que acontece física e mentalmente quando deixamos de nos exercitar regularmente. E avança com soluções para voltar à boa forma.