Apetite sexual: Despertar o desejo através dos alimentos

Desde a Antiguidade que o Homem procura alimentos que possam estimular o desejo e predispor homens e mulheres ao ato sexual.
Por Ana Maria Ribeiro 18 de Abril de 2021 às 01:30
Muitos acreditam que há alimentos que predispõem mais para o sexo
Muitos acreditam que há alimentos que predispõem mais para o sexo Foto: Getty Images

Associar o prazer da comida com o prazer do sexo é uma ambição antiga do Homem, que desde sempre procurou na Natureza alimentos que ajudassem a estimular a líbido. A crença na existência de comida afrodisíaca é transversal: os maias e os astecas, bem como os gregos e os romanos, acreditavam no poder de certos alimentos para provocar excitação sexual. A referência mais antiga a um afrodisíaco chega-nos do antigo Egito, onde se consumia pó de pénis de crocodilo, com a fé de que isso deixava homens e mulheres mais predispostos ao ato sexual. Segundo a nutricionista Ana Rita Lopes, coordenadora da unidade de nutrição clínica do Hospital Lusíadas Lisboa, “ao longo da História têm sido vários os alimentos considerados afrodisíacos, desde especiarias como o açafrão a alimentos que supostamente têm parecenças com os órgãos genitais masculinos e femininos, como os espargos ou as ostras”. No caso das ostras, a ciência encontra mesmo uma ligação entre estes moluscos e o sexo, pois “contêm grandes quantidades de zinco, um mineral importante para a produção de testosterona e para a contagem do esperma, fatores essenciais para a fertilidade masculina”, acrescenta a especialista. No entanto, alerta Ana Rita Lopes, “não existe evidência científica que comprove o efeito dos alimentos ou as substâncias afrodisíacas sobre a libido humana”.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Relacionadas
Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

E se pudesse reiniciar o cérebro? Os conselhos de um neurologista

O cérebro humano está a ser gravemente manipulado pelos estímulos da tecnologia e as consequências refletem-se em comportamentos que nos deixam cada vez mais doentes. Em Limpeza Cerebral, o recém lançado livro do neurologista David Perlmutter e do médico internista Austin Perlmutter, reúnem-se técnicas para combater esta realidade.