Silêncio, há um novo restaurante do chef Avillez

Silêncio, há um novo restaurante do chef Avillez
Catarina Moura 07 de fevereiro de 2020

E vai cantar-se o fado. Ana Moura e António Zambujo são os curadores artísticos do Canto, o 19.º restaurante do grupo de José Avillez. À cozinha portuguesa juntam-se concertos intimistas.

Já não Há casas de fado como antigamente. Não querendo estragar o fim da história, também não é esta nova casa lisboeta que vai ser solução, até porque no novo Canto, de José Avillez, não se come só qualquer coisinha, mas pratos de um dos mais celebrados chefs portugueses; e também não se canta só o fado, embora os programadores artísticos sejam Ana Moura e António Zambujo.

Ana Moura tem saudades, como confessa antes de jantar, de um sítio onde "ficar até às tantas a ouvir música e conversar com pensadores". Quando chorou este lamento no ombro de Avillez - tudo isto em sentido figurado - o chef disse sem pestanejar "tenho o espaço para isso". Tinha: o restaurante com palco abriu esta terça-feira no Largo São Carlos, em Lisboa.

"O repertório vai adaptar-se ao espaço [intimista], em concertos de 45 minutos e vamos apresentar-nos aqui com a máxima regularidade possível", promete Zambujo. "Vamos juntar as duas grandes invenções deste mundo: a cozinha e a música", atira Avillez. Este espaço, agora projetado pelo Studio Astolfi, já estava na sua mão - foi antes o Belcanto. Quando quis fazer obras para aumentar o restaurante de alta cozinha, os vizinhos torceram o nariz e acabou por mudar o Belcanto para a porta ao lado no ano passado.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais