Humor tuga mais poderoso na rede: autores revelam fórmula à SÁBADO

Humor tuga mais poderoso na rede: autores revelam fórmula à SÁBADO
Raquel Lito 16 de fevereiro de 2017

António Raminhos foi corrigido por um miúdo em matéria de memes (aquelas fotos legendadas com piadas). Marcelo acha graça à página humorística que lhe dedicam, Isabel Angelino também. Como se tornaram virais?

Na era jurássica do humor, Jerry Seinfeld fazia do stand-up um laboratório de ideias nos clubes obscuros de Nova Iorque. Em bares de caves, circulavam copos de whisky numa névoa de cigarros, enquanto ele e outros tipos tentavam prender a atenção da plateia. Os timings e o punch (o que faz a audiência rir) serviam de cartilha. Testavam a comédia sem rede, sentindo-se miseráveis se ela defraudava as expectativas. "É como se Tyson lutasse sem meias… só com calções e sapatos", comentava um colega para Seinfeld, no documentário De Onde Vem a Comédia, 2002. Seinfeld dava o punch: "É o ginásio a cheirar bem."

Quinze anos depois, o ginásio do humor reinventa-se fora dos clubes. Dispara no Facebook, atrai seguidores e ganha dimensão televisiva (várias páginas são mencionadas em programas de entretenimento). E não, não é piada, mas há novatos anónimos a corrigirem as estrelas da companhia. António Raminhos, 38 anos, já passou pela experiência. "No online a piada é mais rápida e imediata. Segue-se o set up. Cheguei a usar um meme e haver um puto a dizer que não era assim que se fazia", admite à SÁBADO o humorista de 38 anos, com mais de meio milhão de gostos na sua página (fora os 700 mil do You Tube com a Banheira das Vaidades, e os 319 mil no Instagram). Um estudo de mercado, a nível nacional, reforça as capacidades de socialização (52%) e entretenimento (34%) que o Facebook proporciona. Mesmo com a concorrência do Instagram, Twitter, Pinterest e afins, a rede social de Mark Zuckerberg continua à cabeça com 81% dos inquiridos a indicarem que a usam regularmente. O inquérito a 800 pessoas foi realizado pela consultora Return on Ideas, em Outubro de 2014.      

O novo formato de humor viral – o meme – obedece a regras próprias, segundo o utilizador da técnica Sérgio Ferreira, 22 anos. Na rede social, o açoriano de Ponta Delgada assina Senhora Dona Isabel, uma página alusiva ao seu ídolo Isabel Angelino, onde divulga imagens da apresentadora legendadas. "O que interessa é que causem uma gargalhada à primeira vista. Só tem graça se a expressão da protagonista der algum brilho à imagem. A mensagem tem de ser directa, quanto mais curta, melhor. Às vezes olho para uma fotografia da Isabel e vem logo uma ideia à cabeça, outras demoro um pouco mais."

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais