Estrangeiros escolhem Portugal para casar

Maria Espírito Santo 16 de abril de 2017

Calor, bebidas incluídas, um cenário de sonho - é por isso que os irlandeses escolhem Portugal para casar

Voltou a estudar e a ler inglês, ensaiou a homilia várias vezes e até levou o texto escrito para o altar. Celebrar aquele casamento estava a deixá-lo mais nervoso do que o costume - era a primeira vez que o fazia em inglês, para fiéis irlandeses. "Tive de perceber como era a celebração na Irlanda. Tem um aspecto diferente: no início da eucaristia são acesas duas velas, que lembram o baptismo. Depois dos votos, há uma terceira vela, grande, em símbolo da união", explica o padre Miguel Neto, responsável da Pastoral do Turismo da diocese do Algarve.

Desde essa primeira vez, em 2010, já perdeu a conta aos casamentos que celebrou em inglês. Portugal - e em particular o Algarve - tem-se tornado, para os estrangeiros, um destino cada vez mais popular para casar. Se em 2006 se registaram 230 matrimónios de estrangeiros, em 2012 foram mais de 582, chegando a 901 no ano passado (dados do Ministério da Justiça). São brasileiros, alemães, italianos e irlandeses os que mais se casam por cá.

Os areais a perder de vista e as temperaturas amenas seduzem os naturais de países cinzentos, como a Irlanda, que há sete anos recebe, anualmente uma feira de casamentos de assinatura portuguesa. Ali se reúnem representantes de hotéis e de outros serviços como catering, alojamento, fotografia, vídeo, animação (música) ou aluguer de carros clássicos.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais