Como evitar que os jovens fiquem viciados em redes sociais?

José Couceiro com Leonor Riso 13 de novembro de 2020

Novo estudo europeu aos hábitos dos jovens, mostra que os portugueses reportam mais problemas com o tempo passado nas redes sociais ou nos jogos online do que a média dos países europeus. Duas psicólogas ajudam os pais a detetar e controlar o problema.

O novo relatório do European School Survey Project on Alcohol and Other Drugs (ESPAD), divulgado na quinta-feira e que se baseia em inquéritos feitos a quase 100 mil alunos, de 35 países europeus, que completaram 16 anos em 2019, analisa os comportamentos aditivos, desde drogas, álcool, tabaco, medicamentos sem prescrição médica, até jogos online e redes sociais.

No consumo de substâncias ilícitas, os jovens portugueses apresentam valores dentro da média. No entanto, nos problemas decorrentes do uso das redes sociais e dos jogos online, estão acima dos restantes jovens da Europa.

Jovens em Portugal fumam menos tabaco, mas bebem mais álcool

Inquérito europeu revela que, relativamente a 2015, menos 3% dos portugueses fumam tabaco tradicional e menos 5% fumam tabaco eletrónico. Mas houve um aumento de 6% nos jovens que consomem álcool. - Portugal , Sábado.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais