As reacções de chefs nacionais e internacionais à morte de Bourdain

Diogo Camilo com Leonor Riso 08 de junho de 2018

A morte do chef colegas por todas as cozinhas do mundo chocados. "Foi seguramente uma das pessoas que mais me inspirou e abriu o apetite para querer comer o mundo."

A morte de Anthony Bourdain, aos 61 anos, na manhã desta sexta-feira deixou chefs por todas as cozinhas chocados e as reacções ao seu desaparecimento não tardaram. Amigos de longa da data e companheiros de profissão que o admiravam e a quem o norte-americano inspirou apressaram-se para partilhar a sua dor.

O ano era 2011 e Bourdain visitava Portugal para mais um episódio de No Reservations, o seu programa televisivo, quando o chef decidiu fazer uma paragem no "100 Maneiras" de Ljubomir Stanisic. O chef natural de Sarajevo, na Bósnia-Herzegovina, emitiu um comunicado a lembrar o seu ícone, referindo que "admirava todo o seu percurso". "Foi um cozinheiro que nos inspirou a todos, que personificava aquela ideia de fazermos as coisas como achávamos que devíamos ser feitas, sem regras nem medos, dentro e fora da cozinha. Que nos mostrou que com a dose certa de paixão, trabalho e perseverança – que no caso dele, não tinham medida – podíamos chegar onde quiséssemos", escreveu o chefe que é também uma estrela televisiva. 

"Um rebelde com causa, dos primeiros a mostrar que a grande cozinha pode estar em qualquer lugar, dos melhores restaurantes à casa mais humilde, fazendo com que o mundo se apaixonasse definitivamente pela aventura de comer. O mundo da cozinha ficou infinitamente mais pequeno hoje mas a marca de Bourdain vai perdurar no tempo, não tenho dúvidas", lembrou ainda Ljubomir.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais