Hospitais ignoraram tutela e prejudicaram a fiabilidade das contas de 2017

Negócios 08 de janeiro de 2019

Uma auditoria do Tribunal de Contas revela que os hospitais ignoraram determinações do Ministério, que não adotou quaisquer medidas para fazer cumprir as suas orientações. Só três unidades hospitalares não refletiram 309,7 milhões nas contas de 2017.

Por João D'Espiney - Jornal de Negócios

Alguns hospitais, "não obstante as orientações expressas da Secretaria de Estado da Saúde (…) decidiram não refletir na contabilidade as determinações da tutela, estimando-se em cerca de 309,7 milhões as diferenças de conciliação" nas contas de 2017 só de três unidades (Centros Hospitalares e Universitários do Porto e de Lisboa e o de São João, no Porto).

A informação consta numa auditoria do Tribunal de Contas (TdC) à "Conta Consolidada do Ministério da Saúde, exercício de 2017, divulgada esta terça-feira, dia 8 de Janeiro.


"Sabendo que tal ação prejudicava a fiabilidade da Conta Consolidada do Ministério da Saúde, ainda assim o Ministério da Saúde não adotou quaisquer medidas coercivas para fazer cumprir as suas orientações", criticam os juízes do Tribunal, defendendo que "a cedência da Tutela perante esta postura de alguns conselhos de administração prejudicou a fiabilidade da Conta Consolidada do Ministério da Saúde de 2017".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login